sábado, 31 de julho de 2010

Distância do meu eu

E por vezes, só por vezes, gostava de sair do meu corpo, da minha vida, da minha história, desse livro de capa gasta, e ser uma mera leitora, dessas que apreciam, recostadas no seu sofá, contos de destino incerto.

3 comentários:

N. # disse...

Acho que todos nós gostariamos um pouco na vida de fazer isso ... *

Marta D'Almeida disse...

desculpo a invasão?
ów minha querida , eu até te agradeço :D

Marta D'Almeida disse...

é bom saber que não sou a única :)