sexta-feira, 29 de outubro de 2010

#4 LETTER TO YOUR SIBLING (OR CLOSEST RELATIVE)

Meu querido irmão que não tenho, meu querido sonho por concretizar.
É verdade, não passas de um sonho meu.
Um irmão mais velho, que esteja sempre perto para me encaminhar na vida. Aquele que me aconselhe, que embirre comigo, que me repreenda e que seja meu amigo.
Mano, tenho pena que nunca tenhas nascido pois tenho sentido a tua falta por aqui, e sim às vezes temos falta do desconhecido, por e simplesmente porque este se baseia em sonhos oprimidos.
Mas meu sonho inalcansável, guardar-te-ei na minha caixa de recordações
E sim, sentirei sempre a tua falta no peito, a falta que só um irmão poderia preencher.
Despeço-me então de ti, meu pequeno grande desejo. Despeço-me com um beijinho imaginário, tão imaginário como a tua própria existência.

Para um sonho, um sonho meu
SR

6 comentários:

RuteRita disse...

obrigada,
estÁ lindo

disse...

Que livro é que andas a ler dela?
Adorei o texo, há sonhos que infelizmente não se podem concretizar mas isso não deve interferir com a tua felicidade.

● BlackDreams disse...

amo a musica do teu blog, das minhas favoritas *

danó disse...

Selinho nomeu blog ♥

Sara Martins disse...

está linda a carta querida, linda <3

● mf ● disse...

chama-o demais s:
eu queria que ele fosse só meu , como eu sou só dele . mas eu sei que isso já nao é possivel ; foi um ano nisto . e no meio de tanto , a esperança esgota-se txt