terça-feira, 5 de julho de 2011

Gosto imenso de ti

*(Consegui finalmente descobrir o problema do meu blog e já consigo mandar comentários yuhuh :P)

**(Ando um pouco ausente do meu espacinho mas a vontade não me tem levado a transpor por palavras o que trago no coração, por isso tenho preferido não o fazer)

***(A minha vida, bem, nem queiram saber! Parece uma verdadeira montanha russa. É de loucos. É por essa razão que os meus textos têm oscilado tanto entre sorrisos e lágrimas. Por isso não os estranhem. )

Não sei o que me deu na cabeça, tão pouco no coração. Não sei se pensas do mesmo modo ou se sentes de igual forma, não sei que planos tens para mim e para ti, não sei que metas queres atingir ou que obstáculos está disposto a superar para isto funcionar. A verdade é que já não crio ilusões e muito pouco sei sobre o futuro. Quero ignorar o passado porque me ficou aprisionado no âmago e custa lembrar certas mágoas a que fui obrigatoriamente sujeita. No entanto ainda acredito em nós, de certa forma.
Foste a primeira pessoa que amei mas também a última. Digam o que disserem, só eu sei a dimensão do sentimento que sentia, o vazio da perda sobre o qual me deixei envolver. E sim, não minto quando digo que olhando hoje para ti ainda há em mim uma certa revolta por todo o nosso passado, uma grande insegurança e medo, alguma tristeza pelo que fomos. Mas há também um sentimento quentinho à volta do coração, que me põe uns tantos sorrisos na cara e me aconchega por dentro.
Não vou dizer que é amor, não vou. Mas é um carinho, um afecto que juntos criámos ao longo do tempo. É como se mesmo contra todas as nossas diferenças, todas as nossas divergências, houvesse um ponto de ligação que nos liga, nos une.  É especial isto que temos, esta cinza nunca verdadeiramente apagada. 
Ficou no cantinho do coração guardada aquela saudade, escondida aos olhos de quase todos mas não de todos. Mas tu e eu sabemos, não é verdade? Tu e eu sabemos.
Tudo isto é estranho, repentino e difícil até, mas por enquanto sinto-me viva, sinto-me bem.
Mas esta história ainda vai só pelas primeiras linhas da página... Sem guiões traçados, cenas idealizadas ou falas decoradas. Vamos apenas deixar o pano abrir e permitir que flua o improviso. O melhor de tudo é que depois de um fim, pode haver sempre um novo começo... E de vez em quando, quem não gosta de um novo começo ?!
Tenho uma única certeza: Gosto imenso de ti
SR

2 comentários:

disse...

É dificil deixar um grande amor para trás, não é? Por isso é que ás vezes o deixamos voltar a entrar e a sair da nossa vida uma imensidão de vezes!

(E sim, é mesmo isso que disseste, deixei de escrever o q me vai cá dentro para passar a escrever o que os outros queriam ler)

beijinhos*

DF ॐ disse...

Minha querida adorei o post. Compreendo esse teu pensamento e sentimento, na verdade já senti o mesmo. Não sei bem o vosso passado mas acredita que com calma tudo pode voltar, tudo pode melhorar e com o esforço dos dois tudo pode continuar :')
Para o que precisares estarei aqui e continua a lutar se achas que vale mesmo a pena :) Beijinho enorme ♥